Galeria de Fotos

Não perca!!

Banner

Política

Ex-ministro da EducaçãoAbraham Weintraub (Foto: Reprodução)
Ex-ministro da EducaçãoAbraham Weintraub (Foto: Reprodução)

Depois de dizer que precisava sair do Brasil para não ser preso, Abraham Weintraub usou a condição de ministro da Educação para desembarcar em Miami, nos Estados Unidos, e assim driblar as restrições de viagens para brasileiros em razão da pandemia de covid-19. Horas depois, o governo soltou edição extraordinária do Diário Oficial da União (D.O.U), exonerando-o do cargo.

A ida de Weintraub aos EUA ocorre dois dias após ele anunciar em vídeo publicado nas redes sociais, ao lado do presidente Jair Bolsonaro, que sairia da pasta. O agora ex-ministro deve assumir o cargo de diretor-executivo do Banco Mundial. O Estadão revelara que apoiadores do ministro diziam nas redes sociais que ele tinha de fugir do País para não ser preso por ordem do Supremo Tribunal Federal (STF), que o investiga em dois inquéritos. "A prioridade total é que eu saia do País o quanto antes. Agora é evitar que me prendam, cadeião, e me matem", contou Weintraub.

Weintraub chegou a se apresentar como ministro ao desembarcar em Miami, segundo apurou o Estadão. O Ministério da Educação afirmou que ele chegou aos EUA por Miami e que a viagem foi feita por meio de avião comercial e em classe econômica. Apesar de ter anunciado sua demissão, Weintraub continuava como ministro até a manhã do sábado. Como titular do cargo, tinha direito a passaporte diplomático.

A assessoria do MEC não soube dizer se o ex-ministro continuaria em Miami. Informou apenas que, apesar das restrições impostas pelos EUA aos brasileiros por causa da pandemia da covid-19, Weintraub não foi impedido de entrar e que "comprou a passagem com dinheiro dele". Isso ocorreu porque as restrições americanas excluem funcionários do governo brasileiro, como era Weintraub ao desembarcar.

O ato de exoneração foi publicado em edição extra do Diário Oficial, assinado pelo presidente Jair Bolsonaro depois de seu irmão Artur Weintraub, assessor especial da Presidência, anunciar pelo Twitter: "Obrigado a todos pelas orações e apoio. Meu irmão está nos EUA." O decreto diz apenas que o ministro foi exonerado "a pedido".

Weintraub foi o décimo ministro a cair deste o início do governo. Ele ficou 14 meses no cargo e acumulou desavenças com reitores, estudantes, parlamentares e até com ministros do STF. Foi filmado em reunião interministerial chamando os ministros de "vagabundos" e dizendo que colocaria "todos na cadeia".

Em razão das declarações feitas no vídeo, o ministro Alexandre de Moraes o incluiu no inquérito das fake news que tramita no STF. O ministro da Advocacia-Geral da União, André Mendonça, entrou com habeas corpus para tirá-lo do inquérito, mas os ministros do STF decidiram por 9 a 1 que ele deveria permanecer na investigação.

Na quinta-feira, o senador Fabiano Contarato (Rede-ES) havia solicitado ao STF, por meio de ofício, a apreensão do passaporte do ex-ministro. A intenção era que ele não pudesse sair do País enquanto durar o inquérito das fake news.

Weintraub também é investigado pela suposta prática de crime de racismo. Ele publicou em seu Twitter um texto no qual fez uma publicação irônica em relação à China, substituindo a letra "r" pela "l", em alusão ao personagem Cebolinha da Turma da Mônica. O inquérito foi aberto por determinação do ministro Celso de Mello. Weintraub depôs e negou racismo.

Cargo

O Banco Mundial informou que recebeu uma comunicação das autoridades brasileiras indicando Weintraub para diretor-executivo, representando o Brasil e demais países do seu grupo (constituency) no Conselho de Diretores-Executivos do Grupo Banco Mundial. O tempo do mandato, no entanto, não passaria de três meses. "Se eleito pelo seu constituency, cumprirá o restante do atual mandato, que termina em 31 de outubro de 2020", disse a instituição, ressaltando que, depois, "será necessária nova nomeação".

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Clique aqui e siga-nos no Facebook

Veja também:

Carta a embaixadas pede que Weintraub não seja eleito no Banco Mundial

'Saindo do Brasil o mais rápido possível', diz Abraham Weintraub

Weintraub deixa Ministério da Educação após polêmicas com STF

Weintraub comparara ação contra fake news com nazismo; entidades judaicas reagem

Alexandre de Moraes pede oitiva de Weintraub sobre os “vagabundos do STF”

Conheça o oncologista Nelson Teich, médico que vai substituir Mandetta

Mandetta deixa Ministério da Saúde sob aplausos

Saída de Teich repercute no mundo: “Brasil volta a ficar sem ministro”

Teich deixa o Ministério da Saúde com menos de um mês no cargo

Em meio à crise do coronavírus, Mandetta anuncia em rede social que foi demitido por Bolsonaro

Mandetta já avisou à equipe que vai ser exonerado, diz jornal

Ministério da Educação adia o Enem 2020

Ministro da Educação desliza mais uma vez no português nas redes sociais

Caos no Enem: Weintraub diz que alunos tiraram nota baixa e culparam MEC pelo resultado

Bolsonaro não sinaliza mudança, e Weintraub conduz MEC com erros e deboches

MEC quer mudar Enem e aplicar provas nos três anos do ensino médio

Com caos no Enem, secretário de Educação Superior do MEC pede demissão

Rodrigo Maia detona ministro da Educação: 'nosso país não tem futuro'

MPF pede suspensão de Sisu, Fies e ProUni e revisão completa do Enem

Vídeo - Gabaritos trocados resultaram em notas erradas no Enem, diz Inep

Câmara apoia UNB após Weintraub disparar ataques contra universidades federais

Ministro da Educação, Abraham Weintraub 'surta' no Twitter e agride internautas

Íntegra da prova do segundo dia do Enem vaza; não houve dano, diz ministro

MEC quer acabar com concursos nas universidades federais para contratar apenas professores de extrema-direita

Universidade que aderir ao Future-se terá que contratar professor sem concurso

Governo bloqueia R$ 348,4 milhões para compra, produção e distribuição de livros didáticos

Ministro da Educação faz piada sobre caso dos 39kg de cocaína no avião da FAB

UFBA, UnB e UFF: MEC anuncia corte de verbas de universidades por 'balbúrdia'

Clique aqui e siga-nos no Facebook

 

Camaçari Fatos e Fotos LTDA
Contato: (71) 3621-4310 | redacao@camacarifatosefotos.com.br, comercial@camacarifatosefotos.com.br
www.camacarifatosefotos.com.br