Galeria de Fotos

Não perca!!

Banner

Política

Presidente Jair Bolsonaro (Foto: Reprodução)
Presidente Jair Bolsonaro (Foto: Reprodução)

Superintendência está no centro das acusações feitas pelo ex-ministro Sergio Moro de que presidente estaria tentando interferir politicamente na corporação. Advocacia-Geral da União informou que 'tomará medidas judiciais cabíveis'.

A Justiça Federal de Brasília deu 72 horas para que o presidente Jair Bolsonaro explique a mudança no comando da Polícia Federal no Rio de Janeiro. A decisão foi publicada nesta terça-feira (5), mesmo dia em que o chefe do Executivo confirmou a saída de Carlos Henrique Oliveira do cargo de superintendente da corporação no estado.

À reportagem, a Advocacia-Geral da União informou que não foi notificada da decisão e que tomará "as medidas judiciais cabíveis".

A medida judicial atende a um pedido de um dos coordenadores do Movimento Brasil Livre (MBL), Rubens Nunes. Ele questionou a legalidade da substituição do cargo, que é considerado estratégico em investigações.

Como novo superintende da PF no Rio de Janeiro foi escolhido o delegado Tácio Muzzi. O substituto foi indicado pelo novo diretor-geral da Polícia Federal, Rolando de Souza.

A troca de comando também será investigada pela Procuradoria Geral da República (PGR). A análise será um desdobramento dentro do inquérito aberto pelo Supremo Tribunal Federal (STF) para investigar a suposta interferência política do presidente Jair Bolsonaro na autonomia da Polícia Federal, após a demissão do ex-ministro Sergio Moro.

Número 2 da PF

Nesta terça, Bolsonaro informou a jornalistas, na saída do Palácio da Alvorada, que Oliveira foi convidado por Rolando de Souza a assumir o cargo considerado o segundo mais importante da Polícia Federal.

Questionado se a mudança seria uma "interferência" nas apurações da Polícia Federal, o presidente mandou repórteres calarem a boca (veja vídeo abaixo). E prosseguiu:

“Cala a boca! Está saindo de lá para ser diretor-executivo a convite do atual diretor-geral. Não interfiro em nada. Se ele for desafeto meu e se eu tivesse ingerência na PF, não iria para lá. É a mensagem que vocês dão. Não tenho nada contra o superintendente do Rio de Janeiro. E não interfiro na Polícia Federal. E ele está sendo convidado para ser diretor-executivo. É o 02”, disse.

Clique aqui e siga-nos no Facebook

Veja também:

Moro: 'Você tem 27 superintendências, eu quero apenas uma', disse Bolsonaro

'Será que abandonamos toda e qualquer dignidade?', questiona Moro

Generais desmentem Bolsonaro: se ele quiser dar golpe que vá buscar apoio em outro lugar

Moro presta depoimento à Polícia Federal neste sábado

Bolsonaro nomeia André Mendonça para Ministério da Justiça no lugar de Moro

'Conta' pelas mortes por covid-19 é de prefeitos e governadores, diz Bolsonaro

Sergio Moro terá 'duelos' no STF contra Bolsonaro e Lula

Lava Jato vê espaço para obstrução de investigações com saída de Moro

Escolhido para chefiar a PF fez segurança de Bolsonaro e tem a confiança dos filhos

Bolsonaro diz que Moro propôs aceitar demissão de diretor da PF se fosse indicado ministro do STF

Vídeo - Bolsonaro faz pronunciamento no Palácio do Planalto

'Por enquanto, só lamentar', diz general Villas Bôas sobre saída de Moro

'Bolsonaro queria interferir na PF e ter acesso às investigações', diz Moro

The Intercept: Ei, general... desobedece quem tem juízo

Deputada diz que Bolsonaro quer afastar diretor da PF por investigação a Flávio

Moro pede demissão, mas Bolsonaro tenta reverter, diz jornal

'Não sou coveiro, tá?', diz Bolsonaro ao responder sobre mortos por coronavírus

Presença de Bolsonaro em aglomeração causa primeira 'saia-justa' no novo ministro da Saúde

Bolsonaro demite presidente do CNPq, órgão de fomento à pesquisa

Mandetta deixa Ministério da Saúde sob aplausos

Em meio à crise do coronavírus, Mandetta anuncia em rede social que foi demitido por Bolsonaro

Mandetta não aceita demissão de secretário: 'Vamos trabalhar juntos até sairmos juntos'

Troca no Ministério da Saúde 'deve ser hoje, mais tardar amanhã', diz Mandetta

Considerado braço direito de Mandetta, secretário pede demissão

Mandetta já avisou à equipe que vai ser exonerado, diz jornal

Bolsonaro começa avaliar nomes para substituir ministro da Saúde

Bolsonaro quer forçar Mandetta a pedir demissão após ministro perder apoio entre militares

Brasileiro não sabe se escuta ministro ou presidente, diz Mandetta

Mandetta diz que permanecerá em ministério e volta a defender isolamento: “Vamos continuar”

Clique aqui e siga-nos no Facebook

 

Camaçari Fatos e Fotos LTDA
Contato: (71) 3621-4310 | redacao@camacarifatosefotos.com.br, comercial@camacarifatosefotos.com.br
www.camacarifatosefotos.com.br