Galeria de fotos

Não perca!!

Policial

Demilson foi encontrado morto nesta quarta (28) (Foto: Mauro Akin Nassor | CORREIO)
Demilson foi encontrado morto nesta quarta (28) (Foto: Mauro Akin Nassor | CORREIO)

“Os amigos deles correram, mas o meu menino não, porque eu sempre dizia para ele que, quando a polícia chegasse, ele não deveria correr. Foi o que ele fez, mas não adiantou. Mataram ele”, disse emocionada.

Um vídeo que circula nas redes sociais mostra pelo menos um policial militar próximo a um córrego onde são ouvidos cinco disparos. Segundo a dona de casa Roberta Santos Santana, 35 anos, o local onde o vídeo foi gravado é o mesmo onde o corpo do filho dela, Demilson Santana de Jesus, 15, foi encontrado morto, na localidade de Coroado, no bairro de São Marcos.

“Foi ali que o corpo do meu filho foi encontrado”, disse Roberta ao CORREIO apontando para o vídeo, que deve ser entregue à Corregedoria da Polícia Militar na sexta-feira (30), quando ela pretende prestar queixa. “Não vou desistir. Quero que paguem pelo que fizeram”.

Após a morte do adolescente, moradores protestaram na manhã desta quinta-feira (29) na Avenida São Rafael. Segurando a foto do filho, rodeada de parentes e amigos, Roberta repetia: “ele fez o que a gente sempre orientou e acabou desse jeito”.

Ela contou que, por volta das 16h, Demilson estava na Baixa do Coroado com três amigos, jogando futebol no campo improvisado, quando policiais militares chegaram no local. “Os amigos deles correram, mas o meu menino não, porque eu sempre dizia para ele que, quando a polícia chegasse, ele não deveria correr. Foi o que ele fez, mas não adiantou. Mataram ele”, disse emocionada.

Roberta contou que uma vizinha escutou o diálogo dos policiais com o menino. “Eles disseram para o meu filho: ‘você vai morrer, viado, vai morrer, prepara para morrer’ e atiraram. Depois, encontramos o corpo dele numa vala, perto de onde o policial aparece no vídeo. Eles mataram um menino que não se envolvia com nada, que não bebia, não fumava, nunca parou numa delegacia”, desabafou a mãe.

O CORREIO procurou a PM para buscar um posicionamento sobre o caso, mas não obteve retorno.

Protesto
Por volta das 12h, moradores do Coroado, entre eles Roberta, ocuparam um trecho da pista da Avenida São Rafael, nas imediações do Hospital São Rafael. “Quero a prisão deles. Meu filho não merecia isso”, declarou a mãe. Segundo ela, Demilson era aluno do 4º ano na Escola Municipal Doutor Orlando Imbassahy, na Avenida São Rafael. A unidade suspendeu as atividades nesta quinta.

Com faixas e cartazes, os manifestantes sentaram na pista. A maioria deles era de crianças e adolescentes. Depois, eles usaram um contêiner de lixo para dificultar a circulação de veículos na pista.

Cerca de meia hora depois do início da manifestação, a Polícia Militar chegou ao local e, após uma conversa, conseguiu que liberassem as pistas.

Segundo moradores do bairro, a ação que terminou com dois ônibus atravessados na Via Regional, na altura do bairro São Marcos, no início da noite desta quarta-feira (28), foi um protesto pela morte do adolescente. Passageiros tiveram que derrubar e pular pelas janelas após bandidos roubarem a chave do motorista e ameaçarem atear fogo no coletivo. A situação ocorreu em um segundo veículo, também com passageiros.

Vídeo I

Vídeo II

Mãe de adolescente morto pede punição (Foto: Mauro Akin Nassor | CORREIO)
Mãe de adolescente morto pede punição (Foto: Mauro Akin Nassor | CORREIO)

Clique aqui e siga-nos no Facebook

 

Camaçari Fatos e Fotos LTDA
Contato: (71) 3621-4310 | redacao@camacarifatosefotos.com.br, comercial@camacarifatosefotos.com.br
www.camacarifatosefotos.com.br