Galeria de fotos

Não perca!!

Policial

A vítima tinha 7 anos quando começaram os ataques (Foto: Reprodução)
A vítima tinha 7 anos quando começaram os ataques (Foto: Reprodução)

Crimes ocorreram em uma região rural de Crato, no Ceará. A mãe sabia das agressões desde 2016, mas elas tinham medo de possíveis represálias dos agressores

A Polícia Civil de Crato (CE) fez uma operação na manhã desta sexta-feira (1º/3) e prendeu seis homens, apontados como autores de estupros cometidos contra uma adolescente nos últimos 10 anos. Os tios e um tio-avô da jovem, hoje com 17 anos, foram detidos, acusados de abusar da agredir sexualmente a garota. Segundo a denúncia, a vítima tinha 7 anos quando começaram os ataques.

As investigações corriam em segredo de Justiça desde a segunda quinzena de dezembro de 2018. Os policiais contaram ao Correio que os suspeitos trocavam mensagens, detalhando entre si sobre os abusos cometidos.

Kamila Brito, delegada titular da Delegacia de Defesa da Mulher de Crato, contou à reportagem que os abusos começaram quando o pai da vítima morreu. A família mora em uma região rural do município, em um sítio, em pequenas casas separadas. Tanto a vítima quanto a mãe disseram não ter procurado a polícia antes por medo de uma represália. A mãe da jovem disse aos investigadores que sabia dos abusos desde 2016.

"Recebemos uma denúncia anônima no fim do ano passado. Chegou pelo disque 100. Quando chegou à minha mesa e eu vi, fiquei perplexa. Tenho 10 anos de polícia e nunca vi nada assim. Pedi para alguns agentes que trabalham comigo irem ao local, colher informação. Lá, eles encontraram a vítima. Ela disse que a história era toda verdadeira e que ela mesma tinha feito a denúncia", narrou.

A jovem passará por atendimento no Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas) e no Centro de Referência da Mulher. As instituições, segundo Kamila, fornecerão atendimento psicológico e providenciarão um local para ela viver a partir de agora.

Duas primas da jovem também contaram à polícia que, quando mais novas, tinham sido levadas pelo tio avô, que hoje tem 84 anos, para uma construção abandonada. Lá, o idoso teria molestado as garotas. Dos seis suspeitos detidos, somente um confessou ter cometido o crime.

Até a última atualização desta reportagem, um suspeito continuava foragido. Segundo a delegada responsável pelo caso, ele é considerado o mais agressivo dos irmãos. A polícia não divulgou o nome dos suspeitos para não expor as vítimas. Os agressores responderão por estupro coletivo de vulnerável.

Veja onde buscar ajuda em casos de violência doméstica:

Cedap (Centro Estadual Especializado em Diagnóstico, Assistência e Pesquisa) – Atendimento médico, odontológico, farmacêutico e psicossocial a pessoas vivendo com HIV/AIDS. Endereço: Rua Comendador José Alves Ferreira, nº240 – Fazenda Garcia. Telefone: 3116-8888.

Cedeca (Centro de Defesa da Criança e do Adolescente Yves de Roussan) – Oferece atendimento jurídico e psicossocial a crianças e adolescentes vítimas de violência. Endereço: Rua Gregório de Matos, nº 51, 2º andar – Pelourinho. Telefone: 3321-1543/5196.

Cras (Centro de Referência de Assistência Social) – Atende famílias em situação de vulnerabilidade social. Telefone: 3115-9917 (Coordenação estadual) e 3202-2300 (Coordenação municipal)

Creas (Centro de Referência Especializada de Assistência Social) – Atende pessoas em situação de violência ou de violação de direitos. Telefone: 3115-1568 (Coordenação Estadual) e 3176-4754 (Coordenação Municipal)

Creasi (Centro de Referência Estadual de Atenção à Saúde do Idoso) – Oferece atendimento psicoterapêutico e de reabilitação a idosos. Endereço: Avenida ACM, s/n, Centro de Atenção à Saúde (Cas), Edifício Professor Doutor José Maria de Magalhães Neto – Iguatemi. Telefone: 3270-5730/5750.

CRLV (Centro de Referência Loreta Valadares) – Promove atenção à mulher em situação de violenta, com atendimento jurídico, psicológico e social. Endereço: Praça Almirante Coelho Neto, nº1 – Barris, em frente a Delegacia do Idoso. Telefone: 3235-4268.

Deam (Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher) – Em Salvador, são duas: uma em Brotas, outra em Periperi. São delegacias que recebem denúncias de violência contra a mulher, a partir da Lei Marinha da Penha.

Deam Brotas – Rua Padre José Filgueiras, s/n – Engenho Velho de Brotas. Telefone: 3116-7000.

Deam Periperi – Rua Doutor José de Almeida, Praça do Sol, s/n – Periperi. Telefone: 3117-8217.

Deati (Delegacia Especializada no Atendimento ao Idoso) – Responsável por apurar denúncias de violência contra pessoas idosas. Endereço: Rua do Salete, nº 19 – Barris. Telefone: 3117-6080.

Derca (Delegacia de Repressão a Crimes Contra a Criança e o Adolescente) Endereço: Rua Agripino Dórea, nº26 – Pitangueiras de Brotas. Telefone: 3116-2153.

Delegacias Territoriais – São as delegacias de cada Área Integrada de Segurança Pública. Segundo a Polícia Civil, os estupros que não são cometidos em contextos domésticos devem ser registrados nessas unidades. Em Salvador, existem 16 (http://www.policiacivil.ba.gov.br/capital.html).

Disque Denúncia – Serviços de denúncia que funcionam 24 horas por dia. No caso de crianças e adolescentes, o Departamento de Ouvidoria Nacional dos Direitos Humanos oferece o Disque 100. Já as mulheres são atendidas pelo Disque 180, da Secretaria de Políticas Para Mulheres da Presidência da República. Fundação Cidade Mãe – Órgão municipal, presta assistência a crianças em situação de risco. Endereço: Rua Prof. Aloísio de Carvalho – Engenho Velho de Brotas.

Gedem (Grupo de Atuação Especial em Defesa da Mulher do Ministério Público do Estado da Bahia) – Atua na proteção e na defesa dos direitos das mulheres em situação de violência doméstica, familiar e de gênero. Endereço: Rua Arquimedes Gonçalves, 142,  Jardim Baiano - Nazaré. Telefones : 3321- 1949/ 3328-0417 / 3266-4526

Iperba (Instituto de Perinatologia da Bahia) – Maternidade localizada em Salvador que é referência no serviço de aborto legal no estado. Endereço: Rua Teixeira Barros, nº 72 – Brotas. Telefone: 3116-5215/5216.

Nudem (Núcleo Especializado na Defesa das Mulheres em Situação de Violência Doméstica e Familiar da Defensoria Pública do Estado) – Atendimento especializado para orientação jurídica, interposição e acompanhamento de medidas de proteção à mulher. Endereço: Rua Pedro Lessa, nº123 – Canela. Telefone: 3117-6935.

Secretaria Estadual de Políticas Para Mulheres Endereço: Alameda dos Eucaliptos, nº 137 – Caminho das Árvores. Telefone: 3117-2815/2816.

SPM (Superintendência Especial de Políticas para as Mulheres de Salvador) – Endereço: Avenida Sete de Setembro, Edifício Adolpho Basbaum, nº 202, 4º andar, Ladeira de São Bento. Telefone: 2108-7300.

Serviço Viver – Serviço de atenção a pessoas em situação de violência sexual. Oferece atendimento social, médico, psicológico e acompanhamento jurídico às vítimas de violência sexual e às famílias. Endereço: Avenida Centenário, s/n, térreo do prédio do Instituto Médico Legal (IML) Telefone: 3117-6700.

1ª Vara de Justiça Pela Paz Em Casa – Unidade judiciária especializada no julgamento dos processos envolvendo situações de violência doméstica e familiar contra a mulher, de acordo com a Lei Maria da Penha. Endereço: Rua Conselheiro Spínola, nº 77 – Barris. Telefone: 3328-1195/3329-5038.

Veja também:

Jovem procura mulher que teria espalhado boatos sobre ela e é morta a facadas

Elis Cristina - Camaçariense é morta com nove tiros em São Paulo

Mais de 500 mulheres são agredidas por hora no Brasil, revela pesquisa

Câmara cria comissão externa sobre violência contra as mulheres

Agente penitenciário mata namorada, viaja com corpo e comete suicídio

Estudantes e amigos fazem ato em Camaçari por justiça para Eva Luana

Homem agride ex-namorada com socador de alho: 'ela está apavorada', diz filha da vítima

Mãe mata filho de 18 anos ao ser agredida com murro no peito e puxões de cabelo

Clique aqui e siga-nos no Facebook

 

Camaçari Fatos e Fotos LTDA
Contato: (71) 3621-4310 | redacao@camacarifatosefotos.com.br, comercial@camacarifatosefotos.com.br
www.camacarifatosefotos.com.br