Galeria de Fotos

Não perca!!

Banner

Nacional

Maníaco é suspeito de matar quatro pessoas de uma mesma família, balear outras cinco, além de uma série de crimes por Goiás e Distrito Federal no último mês (Foto: Reprodução)
Maníaco é suspeito de matar quatro pessoas de uma mesma família, balear outras cinco, além de uma série de crimes por Goiás e Distrito Federal no último mês (Foto: Reprodução)

Baiano é suspeito de crimes como assassinato e estupro

Lázaro Barbosa está morto. De acordo com informações da TV Record, confirmadas posteriormente pela Polícia Militar de Goiás, o suspeito não resistiu após uma troca de tiros na mata.

O maníaco é suspeito de matar quatro pessoas de uma mesma família, balear outras cinco, além de uma série de crimes por Goiás e Distrito Federal no último mês.

Durante a madrugada desta segunda, câmeras de segurança flagraram Lázaro andando perto da casa da ex-sogra, em Águas Lindas de Goiás. Nas primeiras horas da manhã, agentes cercaram o local.

Após a mobilização, o psicopata foi localizado, mas não se rendeu e abriu fogo contra a guarnição, que revidou.

De acordo com o portal Metrópoles, pessoas ligadas a Lázaro chegaram a fazer contato com um advogado criminalista para negociar sua rendição. O foragido planejava se entregar à polícia de uma forma que garantisse a sua integridade física.

"Todo mundo comemorou aqui, demos glória a Deus. Está todo mundo aliviado", disse uma moradora a TV Globo

Ela foi uma das que ligou para a polícia ontem à noite, depois que o marido viu Lázaro circulando por lá. Inicialmente, a polícia achou que era trote, mas ela insistiu nas ligações, que possibilitaram a localização do maníaco.

Mais cedo, o governador de Goiás Ronaldo Caiado informou que Lázaro foi preso após  20 dias de uma megaoperação que envolveu quase 200 policiais.  

Condenado por assassinatos e estupros, o assassino era procurado por uma série de crimes na Bahia e em Goiás. Ele também é acusado da morte de quatro pessoas de uma família em Ceilândia, no Distrito Federal, e de um caseiro de uma fazenda no distrito de Girassol, em Goiás.

"Como eu disse, era questão de tempo até que a nossa polícia, a mais preparada do País, capturasse o assassino Lázaro Barbosa. Parabéns para as nossas forças de segurança. Vocês são motivo de muito orgulho para a nossa gente! Goiás não é Disneylândia de bandido", disse o governador Ronaldo Caiado em uma rede social.

A Secretaria de Segurança Pública (SSP) de Goiás informou que o suspeito deve ser encaminhado para o Instituto Médico Legal (IML).

Cerco na casa da sogra

Nesta segunda-feira (28), os policiais realizaram um novo cerco nas proximidades da casa da ex-sogra do baiano. Não está claro se a prisão ocorreu durante esta nova fase da operação.

A polícia faz buscas dentro da casa da mulher, identificada até então apenas como Isabel. Ela permitiu a entrada dos agentes da força de segurança ao local e colaborou com as investigações.

“Quando a polícia chegou, tentou negociar com ele, falaram: ‘Lázaro, conversa com a gente, vamos negociar’. Mas ele correu para o mato”, disse um morador em entrevista ao G1.

Ajuda na fuga

Na última quinta-feira (24), a polícia de Goiás identificou Elmi Caetano Evangelista, de 74 anos, e Alain Reis de Santana, 33, como supostos ajudantes de Lázaro Barbosa, de 32 anos. A dupla foi presa no mesmo dia.

O idoso, que é proprietário de uma chácara na área rural de Girassol (GO), foi interceptado por policiais penais do Distrito Federal, após receberem informação de que o serial killer estaria recebendo ajuda de moradores da região. Alain seria o caseiro dele.

O caseiro foi liberado dias depois e começou a ajudar a policia na busca pelo suspeito.

Segundo o Metrópoles, Elmi desobedeceu à ordem de parada dos agentes e tentou fugir em uma Fiat Strada de cor prata. Mesmo com a tentativa de fuga, ele foi interceptado, detido e levado à delegacia. O carro será periciado. O caseiro foi detido na chácara por integrantes da força-tarefa que busca o suspeito, desaparecido há 17 dias.

O secretário de Segurança de Goiás, Rodney Miranda, informou que um deles estaria com uma das armas que Lázaro roubou, com 50 munições, na região de Cocalzinho (GO), uma espingarda calibre 22 mm. O gestor explicou ainda que somente o fato de Lázaro estar recebendo ajuda justificaria a fuga tão prolongada.

“Sabíamos que não era normal ele conseguir fugir por tanto tempo sem ajuda, sem uma rede ajudando ele”, completou. “Quem facilita vida de foragido comete crime. Desconfiamos que tem outras pessoas ajudando e vamos chegar nelas. Vamos chegar a essa rede criminosa que apoia o Lázaro”, garantiu o secretário.

Os envolvidos estão sendo ouvidos e serão autuados por porte ilegal de armas e facilitação de fuga. Dependendo das investigações, poderão ser considerados, ainda, cúmplices ou coautores dos crimes praticados por Lázaro.

Relembro os crimes Lázaro Barbosa

A saga de Lázaro começou no dia 9 de junho, quando ele matou uma família em Ceilândia, no Distrito Federal. Naquele dia, de acordo com o Correio Braziliense, o suspeito invadiu uma casa. Lá, ele matou Cláudio Vidal, 48, e os dois filhos, Gustavo Marques Vidal, 21, e Carlos Eduardo Marques Vidal, 15.

Após o triplo homicídio, ele fugiu levando a empresária Cleonice Marques, 43, refém. No entanto, a mulher conseguiu ligar para o irmão, que chegou à casa e encontrou os três corpos no chão, mas suspeito já tinha fugido levando a refém.

Cleonice foi encontrada morta três dias depois, no sábado (12). O corpo estava em um córrego próximo a Sol Nascente, também no Distrito Federal. O cadáver estava sem roupa e com diversos cortes.

Logo após a morte da família, Lázaro Barbosa começou sua saga fugindo da polícia. O baiano é conhecido por ter grande capacidade de sobreviver na mata e pela sua habilidade de fugir das autoridades. Veja a linha do tempo:

Quinta-feira, 10 de junho: o homem teria invadido uma casa que fica a 3km do local onde o triplo homicídio foi cometido. Lá, de acordo com o Correio Braziliense, ele teria colocado Sílvia Campos, 40, proprietária da chácara, e o caseiro, identificado como Anderson, 18, na mira de seu revólver por 3 horas.

No local, ele teria obrigado os dois a fumarem maconha. Antes de fugir, ele roubou R$ 200, uma jaqueta, celulares e carregador.

Sexta-feira, 11 de junho: Lázaro fez mais um refém e roubou um Fiat Pálio em Ceilândia. Com o carro, ele se dirigiu a Cocalzinho, desta vez em Goiás, onde abandonou e incendiou o veículo.

As investigações apontam que lá se encontrou com um comparsa que o ofereceu suporte.

Sábado, 12 de junho: ele teria passado a tarde bebendo e se divertindo em uma chácara próxima à Lagoa Samuel. Lá o suspeito fez o caseiro refém. O serial killer também o obrigou a fumar maconha. Antes de fugir novamente, Lázaro destruiu o carro do refém.

Após deixar essa casa, ele foi para outra chácara, onde baleou três homens e roubou duas armas de fogo. Uma das vítimas era Thiago, que em entrevista ao Correio Braziliense deu mais detalhes de como o crime ocorreu.

"Estávamos conversando, quando ele chegou invadindo, por volta das 19h, e atirando. Meus dois amigos ficaram muito feridos e eu fui baleado na perna", contou ele enquanto saia do hospital com um ferimento na perna.

No final daquela noite, a polícia o encontrou e quase o prendeu. Houve troca de tiros, mas o suspeito conseguiu escapar enquanto ateava fogo a uma casa em Cocalzinho, interior de Goiás.

Domingo, 13 de junho: o foragido furtou um outro carro, também em Cocalzinho (GO), e abandonou o veículo, um Corsa vermelho, após avistar um ponto de bloqueio montado pela polícia.

No interior do automóvel, foi encontrado um carregador de munições. Policiais iniciaram uma intensa busca pela mata, usaram cães farejadores, drones e helicópteros.

Segunda-fera, 14 de junho: ele passou o dia na mata. De noite, tentou invadir uma chácara, quando trocou tiros com o caseiro. De acordo com o trabalhador, Lázaro teria se ferido. A informação não foi confirmada.

Após deixar o local, ele invadiu uma outra fazenda, onde passou a noite. Câmeras de segurança flagraram o criminoso.

Terça-feira, 15 de junho: houve um encontro entre Lázaro e a polícia. Durante a troca de tiros, dois policiais foram baleados de raspão. O serial killer conseguiu fugir.

Na noite deste dia, ele invadiu uma nova fazenda. Lá, ele preparou comida e fugiu novamente.

Quarta-feira, 16 de junho: o criminoso fez três pessoas de uma família refém. Ele as levou para a beira de um rio e pretendia matá-las. A polícia chegou a tempo de evitar o crime.

Houve troca de tiros, mas Lázaro conseguiu escapar novamente.

Quinta-feira, 17 de junho: Lázaro trocou tiros com a polícia novamente. Há a suspeita de que ele esteja ferido. As autoridades acreditam estar próximas dele, e fecharam um cerco no do distrito de Girassol, município de Cocalzinho.

Após este dia, Lázaro fugiu pelas matas, se escondendo em chácaras. Ele teria recebido ajuda de um fazendeiro e de uma ex-sogra.

Vídeo

Veja também:

Veja quem são os homens presos suspeitos de darem cobertura a Lázaro Barbosa

Perseguição a Lázaro entra no 17º dia após prisão de dois comparsas

Defensoria Pública do DF pede que Lázaro vá para cela separada quando for capturado

Mãe de Lázaro Barbosa diz que filho está sendo perturbado por um "demônio"

Polícia encontra carta em esconderijo de Lázaro: 'Muitas pessoas merecem morrer'

DEMÔNIO: Com 200 policiais, cães, drones e helicópteros à sua caça, serial killer segue foragido

'Serial killer do DF': refém enviou pedido de socorro para polícia

Lázaro Barbosa: serial killer baiano mobiliza 200 policiais em busca de 6 dias no DF

Clique aqui e siga-nos no Facebook

 

Camaçari Fatos e Fotos LTDA
Contato: (71) 3621-4310 | redacao@camacarifatosefotos.com.br, comercial@camacarifatosefotos.com.br
www.camacarifatosefotos.com.br