Galeria de Fotos

Não perca!!

Banner

Nacional

Ex-ministério da Educação, Abraham Weintraub (Foto: Agência Brasil)
Ex-ministério da Educação, Abraham Weintraub (Foto: Agência Brasil)

"Agora é evitar que me prendam, cadeião e me matem", diz ex-ministro

Demitido do Ministério da Educação, Abraham Weintraub afirmou nesta sexta-feira (19) que vai deixar o país o mais rápido possível. Ele foi indicado pelo presidente Jair Bolsonaro para um cargo no Banco Mundial.

"Aviso à tigrada e aos gatos angorás (gov bem docinho). Estou saindo do Brasil o mais rápido possível (poucos dias). NÃO QUERO BRIGAR! Quero ficar quieto, me deixem em paz, porém, não me provoquem!​", escreveu o ex-ministro em seu perfil do Twitter.

À CNN Brasil, ele afirmou que a "prioridade total é que eu saia do Brasil o quanto antes". "Agora é evitar que me prendam, cadeião e me matem", disse.

A exoneração de Weintraub ainda não foi publicada no Diário Oficial. O substituto ainda não foi indicado, mas segundo o ex-ministro o atual secretário-executivo da pasta, Antonio Paulo Vogel de Medeiros deve assumir o comando interinamente.

Weintraub também usou a rede social para rebater um comentário do governador de São Paulo, João Doria (PSDB), que o classificou ontem de pior ministro da Educação da história do país, mais preocupado em ofender que educar.

"Gov Dória [sic], docinho, que delícia!Pegue as compras dos hospitais de SP e compare com os preços dos hospitais universitários do MEC. Respirador, máscara, álcool gel, pode escolher. Caso tenha um item seu mais barato, uso sapato sem meia e calça apertada sem cueca, para não marcar", escreveu Weintraub.

Polêmica

A trajetória de Weintraub à frente da pasta acumulava desgastes por conta de declarações polêmicas. No último domingo (14), ao participar de uma manifestação em Brasília, ele voltou a atacar o STF (Supremo Tribunal Federal). Desde então, a troca no MEC (Ministério da Educação) já era dada como certa.

A situação do ministro já era complicada desde a divulgação do vídeo da reunião ministerial de 22 de abril, em que Weintraub sugeriu colocar os "vagabundos" do STF na cadeia. A fala gerou críticas de ministros da Corte e de parlamentares.

Durante a reunião, o próprio Weintraub lembrava que era um ministro "ativista". Seus ataques nas redes resultaram em dezenas de processos na Justiça. Ao ficar fora do governo o ministro perde o foro privilegiado e esses processos serão remetidos às instâncias inferiores.

No final de maio (28), o agora ex-ministro criticou ainda a operação da PF (Polícia Federal) sobre o inquérito das fake news. Ele chamou o cumprimento de 29 mandados de busca e apreensão, que foram realizados em endereços ligados a apoiadores de Bolsonaro, de Noite dos Cristais brasileira, em referência ao trágico dia do regime nazista.

O economista Abraham Weintraub assumiu o Ministério da Educação em abril de 2019, após a saída de Ricardo Vélez Rodriguez. Antes, ele foi secretário-executivo da Casa Civil. O agora ex-ministro pertencia à chamada ala olavista, ou ideológica do governo, alinhada com os pensamentos do filósofo Olavo de Carvalho.

Weintraub é mestre em Administração na área de Finanças pela FGV (Faculdade Getulio Vargas), MBA e graduado em economia pela USP (Universidade de São Paulo).

Clique aqui e siga-nos no Facebook

Veja também:

Weintraub deixa Ministério da Educação após polêmicas com STF

Weintraub comparara ação contra fake news com nazismo; entidades judaicas reagem

Alexandre de Moraes pede oitiva de Weintraub sobre os “vagabundos do STF”

Conheça o oncologista Nelson Teich, médico que vai substituir Mandetta

Mandetta deixa Ministério da Saúde sob aplausos

Saída de Teich repercute no mundo: “Brasil volta a ficar sem ministro”

Teich deixa o Ministério da Saúde com menos de um mês no cargo

Em meio à crise do coronavírus, Mandetta anuncia em rede social que foi demitido por Bolsonaro

Mandetta já avisou à equipe que vai ser exonerado, diz jornal

Ministério da Educação adia o Enem 2020

Ministro da Educação desliza mais uma vez no português nas redes sociais

Caos no Enem: Weintraub diz que alunos tiraram nota baixa e culparam MEC pelo resultado

Bolsonaro não sinaliza mudança, e Weintraub conduz MEC com erros e deboches

MEC quer mudar Enem e aplicar provas nos três anos do ensino médio

Com caos no Enem, secretário de Educação Superior do MEC pede demissão

Rodrigo Maia detona ministro da Educação: 'nosso país não tem futuro'

MPF pede suspensão de Sisu, Fies e ProUni e revisão completa do Enem

Vídeo - Gabaritos trocados resultaram em notas erradas no Enem, diz Inep

Câmara apoia UNB após Weintraub disparar ataques contra universidades federais

Ministro da Educação, Abraham Weintraub 'surta' no Twitter e agride internautas

Íntegra da prova do segundo dia do Enem vaza; não houve dano, diz ministro

MEC quer acabar com concursos nas universidades federais para contratar apenas professores de extrema-direita

Universidade que aderir ao Future-se terá que contratar professor sem concurso

Governo bloqueia R$ 348,4 milhões para compra, produção e distribuição de livros didáticos

Ministro da Educação faz piada sobre caso dos 39kg de cocaína no avião da FAB

UFBA, UnB e UFF: MEC anuncia corte de verbas de universidades por 'balbúrdia'

Clique aqui e siga-nos no Facebook

 

Camaçari Fatos e Fotos LTDA
Contato: (71) 3621-4310 | redacao@camacarifatosefotos.com.br, comercial@camacarifatosefotos.com.br
www.camacarifatosefotos.com.br