Galeria de fotos

Não perca!!

Nacional

O abono salarial é pago a trabalhadores de baixa renda e funciona como um 14º salário (Foto: Reprodução)
O abono salarial é pago a trabalhadores de baixa renda e funciona como um 14º salário (Foto: Reprodução)

Proposta prevê que o benefício passará a ser creditado apenas a quem recebe até um salário mínimo

A reforma da Previdência do governo de Jair Bolsonaro poderá acabar com o pagamento do abono salarial nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul.

A mudança se deve ao fato de que o piso salarial nessas unidades federativas está acima do salário mínimo, de R$ 998. A proposta da reforma prevê que o abono, hoje pago a quem tem carteira assinada e recebe até dois salários mínimos (R$ 1,9 mil), passará a ser creditado apenas a quem recebe até um salário mínimo.

O abono salarial é pago a trabalhadores de baixa renda e funciona como um 14º salário. Deputados do Sul e Sudeste preparam emendas com o objetivo de tentar evitar a mudança nos parâmetros e garantir o benefício para os estados.

Segundo a Relação Anual de Informações Sociais (RAIS) de 2017, dos 46 milhões de trabalhadores formais do país, quase 24 milhões ganhavam até dois salários mínimos. Caso a proposta de Bolsonaro seja aprovada, apenas 2,6 milhões passam a ter direito ao benefício.

Veja também:

Vídeo - Isidório encena ataque na Câmara em protesto contra decreto de Bolsonaro

Juristas questionam legalidade de decreto que facilitou porte de armas

Decreto de Bolsonaro facilita porte de arma para mais categorias

MPF-BA investiga corte de verbas das universidades públicas federais

Cortes nas universidades ofendem a democracia

UFBA, UnB e UFF: MEC anuncia corte de verbas de universidades por 'balbúrdia'

Bolsonaro perde 'voto de confiança' dos mais pobres, aponta Ibope

Clique aqui e siga-nos no Facebook

 

Camaçari Fatos e Fotos LTDA
Contato: (71) 3621-4310 | redacao@camacarifatosefotos.com.br, comercial@camacarifatosefotos.com.br
www.camacarifatosefotos.com.br