Galeria de Fotos

Não perca!!

Banner

Internacional

Ex-primeiro-ministro japonês Shinzo Abe, de 67 anos (Foto: Reprodução)Ex-primeiro-ministro japonês Shinzo Abe, de 67 anos (Foto: Reprodução)

Shinzo Abe foi atingido no peito e no pescoço

O ex-primeiro-ministro japonês Shinzo Abe, de 67 anos, morreu nesta sexta-feira (8), após ser baleado durante um discurso. O ataque aconteceu na cidade de Nara, no Oeste do Japão, segundo a agência estatal de notícias "NHK", por volta das 11h30 (hora local).

Abe foi atingido no peito e no pescoço. Imagens registraram o momento do ataque. O ex-premiê discursa e, de repente, ouve-se um estampido, e em seguida, a câmera já mostra ele no chão.

Um helicóptero levou o ex-premiê, inconsciente, ao Hospital Universitário de Nara. O suspeito, um ex-oficial da Marinha, foi preso em flagrante.

"Ataque imperdoável! Estou orando do fundo do meu coração para que Abe sobreviva a essa provação", afirmou o primeiro-ministro Fumio Kishida.

Trajetória

Abe foi o primeiro-ministro mais longevo do país e cumpriu dois mandatos - de 2006 a 2007 e de 2012 a 2020. Ele renunciou ao cargo em agosto de 2020, após apresentar problemas de saúde. Enquanto esteve no poder, ganhou notoriedade pela ascensão econômica aplicada no país.

Seu sucessor, Yoshihide Suga, 64, foi indicado pelo PLD. Depois de um ano no cargo, renunciou, em uma saída precipitada pela má gestão da pandemia. O atual líder do Japão, Kishida, foi escolhido para liderar o país com o apoio tácito de Abe.

O ex-primeiro-ministro foi preparado para seguir os passos de seu avô, o ex primeiro-ministro Nobusuke Kishi. Sua retórica política muitas vezes focada em tornar o Japão uma nação "normal" e "bonita" com uma militarização mais forte e maior papel nos assuntos internacionais.

Ele disse aos repórteres na época que foi "doloroso" deixar muitos dos seus objetivos inacabados. Ele falou de seu fracasso em resolver a questão do japonês sequestrado anos atrás pela Coreia do Norte, em uma disputa territorial com a Rússia e uma revisão da Constituição de renúncia à guerra do Japão.

Seu ultranacionalismo irritou as Coreias e a China, e seu esforço para normalizar a postura de defesa do Japão irritou muitos japoneses. Abe não conseguiu reescrever formalmente a constituição pacifista redigida pelos EUA devido ao fraco apoio público.

A primeira passagem de Abe, repleta de escândalos, como primeiro-ministro foi o começo de seis anos de mudança anual de liderança, lembrada como uma era de "porta" política que carecia de estabilidade e políticas de longo prazo.

Quando voltou ao cargo em 2012, Abe prometeu revitalizar a nação e obter sua economia fora de sua estagnação deflacionária com sua fórmula "Abenomics", que combina estímulo fiscal, flexibilização monetária e reformas estruturais.

Ele ganhou seis eleições nacionais e construiu um sólido controle do poder, reforçando o papel e a capacidade de defesa do Japão e sua aliança de segurança com os EUA. Abe também intensificou a educação patriótica nas escolas e elevou o perfil internacional. (Com agências internacionais).

Clique aqui e siga-nos no Facebook

 

Camaçari Fatos e Fotos LTDA
Contato: (71) 3621-4310 | redacao@camacarifatosefotos.com.br, comercial@camacarifatosefotos.com.br
www.camacarifatosefotos.com.br