Galeria de Fotos

Não perca!!

Banner

Bahia

Everaldo Yunes é promotor de justiça e atua na comarca de Camaçari (Foto: Reprodução)
Everaldo Yunes é promotor de justiça e atua na comarca de Camaçari (Foto: Reprodução)

O promotor de Justiça Everardo Yunes e sua esposa, advogada Fernanda Yunes, que atuam no município de Camaçari, foram acusados de extorsão pela empresária Adriana Almeida da Anunciação da Cunha.

De acordo com a denúncia, enviada por Adriana, ela sofreu prática de extorsão por parte de Everardo e Fernanda. Segundo a vítima, em 2015 ela preferiu acompanhar de perto a administração da imobiliária que mantinha com o então marido. Com isso, percebeu a existência de alguns procedimentos junto ao Ministério Público de Camaçari e Justiça.

Adriana decidiu, então, contratar um advogado da área ambiental, quando recebeu a indicação da advogada Fernanda Manhente Marques. Durante a reunião, a advogada informou que era esposa de um promotor criminal e teria plenas condições de arquivar todos os procedimentos, cobrando um valor de R$ 50.000,00, que depois se tornou R$ 80.000,00.

Conforme a denúncia, em 13 de junho de 2015, Adriana pagou R$ 30.000,00 em cheque e, após isso, foi solicitado mais R$ 10.000,00 em espécie. "Só que como eu queria ver algum resultado, acabei não pagando, ficando a espera de um resultado, quando pagaria mais dinheiro, porque ela tinha cobrado pra tudo R$ 80.000,00", relatou a empresária.

Adriana pontuou que a advogada passou a exigir mais dinheiro, caso contrário, não teria resultados. Segundo Adriana, ela chegou a ser presa. "Percebi que minha prisão se deveu a não ter dado mais dinheiro para Fernanda Manhente e seu marido, Everardo Yunes", descreveu na denúncia.

Ela finaliza o relato pedindo que a Justiça investigue os fatos, alegando que foi vítima do casal e que outras pessoas poderiam ter sofrido com o mesmo problema. Ela enviou complemento da denúncia com toda documentação para o Presidente do Conselho Nacional do Ministério Público, Augusto Aras, que é presidente da Procuradoria Geral da União.

Após a repercussão do caso, o Ministério Público do Estado da Bahia (MP-BA) entrou em contato com o Portal A TARDE para enviar uma nota de esclarecimento. No documento, o MP informa que a instituição "não coaduna com qualquer prática ilegal" e que as informações serão imediatamente apuradas. (Leia nota completa abaixo).
Serviço

Nota de esclarecimento

O Ministério Público do Estado da Bahia esclarece que teve conhecimento nesta quinta-feira, dia 21 de novembro, por meio de notícia veiculada por órgão da imprensa, de denúncia realizada por Adriana Almeida Anunciação da Cunha sobre suposta atuação ilegal da advogada Fernanda Marques, com possível envolvimento de seu esposo, o promotor de Justiça Everardo Yunes. As informações serão imediatamente apuradas nos âmbitos da Corregedoria-Geral do Ministério Público e da Procuradoria-Geral de Justiça da Bahia. A instituição reafirma que não coaduna com qualquer prática ilegal de quem quer que seja e que, portanto, a apuração para esclarecimento dos fatos será absolutamente criteriosa e célere. De igual modo, o Ministério Público baiano colaborará com eventuais apurações do Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP), para onde o juiz da 1a Vara Crime de Camaçari encaminhou a representação recebida.

Atenciosamente,
Assessoria de Imprensa
Ministério Público do Estado da Bahia

Clique aqui e siga-nos no Facebook

 

Camaçari Fatos e Fotos LTDA
Contato: (71) 3621-4310 | redacao@camacarifatosefotos.com.br, comercial@camacarifatosefotos.com.br
www.camacarifatosefotos.com.br