Galeria de fotos

Não perca!!

Antonio Franco Nogueira

'Porque a profecia nunca foi produzida por vontade de homem algum, mas os homens santos de Deus falaram inspirados pelo Espírito Santo.' II Pedro 1;21
'Porque a profecia nunca foi produzida por vontade de homem algum, mas os homens santos de Deus falaram inspirados pelo Espírito Santo.' II Pedro 1;21

Lá chupamos manga, comemos carne assada, sorrimos, e nos alimentamos da mensagem do Céu. Nessa exata ordem. Sim, por que antes de tudo houve as apresentações entre os que não se conheciam. Mas depois disso, das apresentações e dos comes e bebes, o encontro tomou o rumo a que os presentes, ou a maioria deles, naquela tarde buscávamos.

Você deve ter notado que além da manga e da carne assada não há citado nem o Sushi nem o Sashimi, ou mesmo uma sardinhazinha crua que seja, logo não foi nessa hora que o dito Império do Sol Nascente, conforme no título do texto, entrou na questão. Que nesse momento aí, claro, a reunião se dava em Camaçari mesmo, mais precisamente no distrito de Monte Gordo, e mais, embaixo dum pé de jaca, na casa da minha sogra - a quem inclusive peço desculpas pela bagunça. Afinal, conforme ela mesma contou, foram 27 pessoas. Mas segura que logo o/a amigo/a saberá como que fui parar no Japão.

Havia ali gente de duas – se havia de outras não me foi dito - igrejas de bandeiras diferentes, mas todos levados por um só homem, que é pastor de uma das igrejas, a principal se considerar-se o número de membros lá apresentados, e que decidira aceitar um convite meu para ouvir o que eu havia recebido do Senhor do senhores para que lhe falasse, a ele informado por uma irmã, membro de sua igreja. Lá chegando ele, e não somente ele mas que levando todo o corpo de obreiros e diaconal pelo que pude perceber (o que preciso registrar que aquela atitude soou como cores para os meus olhos e afago para o meu espírito tão amargurado que tem estado diante de tanta resistência duns a quem venho tentado dizer o que o Deus de Israel tem me dado a dizer, e de atitudes que vê-se praticadas por outro tanto de líderes que só a misericórdia). Mas há ainda mais no meu contentamento.

E o que há ademais disto? De não ter sido só o meu encanto com a disposição e a coragem daquele homem, de não só se deslocar de sua cidade, que não é Camaçari, para vir me ouvir, mas que ainda trazendo a tiracolo todo o seu arraial, de líderes à ovelhas, sem saber o que lhe seria dito diante do seu povo? Há o mais importante de tudo: um homem que anda fora do prumo do Senhor jamais se arriscaria a um encontro com uma pessoa que dissesse que havia recebido uma mensagem de Deus sobre seu trabalho frente ao povo d’Ele na frente de suas ovelhas. E digo de cátedra, posto outros a quem tenho chamado, em particular, mas que, sei lá por que, talvez tendo na mente algo como “quem é esse aleijado pra me dar conselhos...”, ou coisa assim, e senão isso, por pura e simples falta de temor, ou prepotência, soberba, tem quebrado o pau nos ouvidos fazendo pouco caso. Mas para isso – e não por acaso Ezequiel (capitulo 3) foi o primeiro livro dos profetas que minha mão abriu e meus olhos viram depois da minha conversão, e tudo então começou a acontecer:

(...)E disse-me: Filho do homem, põe-te em pé, e falarei contigo.

Então entrou em mim o Espírito, quando ele falava comigo, e me pôs em pé, e ouvi o que me falava.

E disse-me: Filho do homem, eu te envio aos filhos de Israel, às nações rebeldes que se rebelaram contra mim; eles e seus pais transgrediram contra mim até este mesmo dia.

E os filhos são de semblante duro, e obstinados de coração; eu te envio a eles, e lhes dirás: Assim diz o Senhor DEUS.

E eles, quer ouçam quer deixem de ouvir (porque eles são casa rebelde), hão de saber, contudo, que esteve no meio deles um profeta.
Ezequiel 2:1-5.

Há os que já sabem que desde minha conversão em Jesus Cristo, em 11 de abril de 2015, Ele passou a me visitar em sonhos e visões, os quais, quando Ele quer, vem e me revela o que quer dizer tais enigmas. E entre estes, quando não trata-se dum sonho ou visão para “consumo próprio”, muitos são de revelação sobre em que situação se encontra, uma pessoa, um pastor ou a igreja perante Ele. Aliás, no próximo encontro “A Carne na Brasa” que Ele me permitir fazer, trarei a situação real sobre um pastor muito famoso, sobre quem Ele já falou comigo duas vezes.

E por falar em ‘igreja’, há poucos dias uma irmã em Cristo, vizinha minha de bairro, veio aqui e me disse que havia sonhado com um bocado de fio elétrico espalhado no chão num lado pegando fogo dentro da igreja. E na hora, no ato, me foi entregue o que dizia o enigma. Então olhei pra ela e disparei: Fogo ARTIFICIAL! Assim diz o Senhor. Logo, em um bocado não está sendo do Espírito Santo o que está 'sacudindo' a igreja dela, mas a emoção carnal ou a carnalidade pura e simples. Depois essa irmã acrescentou que o fogo saia de um lado e ia para a outro lado, só que somente no setor dos instrumentos. O que aponta problema também no louvor. Mas o mais grave é que o fogo iniciava na caixa de distribuição. E a quem mais uma igreja reflete senão a seu púlpito? A questão é que a turma esquece o disposto nas Escrituras: (...)Esconder-se-ia alguém em esconderijos, de modo que eu não o veja? diz o Senhor. Porventura não encho eu os céus e a terra? diz o Senhor. Jeremias 23;24. Ela ficou chocada com a revelação mas reconheceu. Mas o que vem fazendo isso são duas coisas: o lixo de doutrina a torto e a torto também, e a preguiça do crente, que não ora e nem lê Bíblia. Depois veja as consequências disso em Oseias 4;6.

Mas ‘ramo’ cá...

Eu não me vejo profeta tão pouco me auto denomino um. Apenas noto que o que passou a acontecer comigo depois da minha rendição a Jesus, inegavelmente não é coisa comum, ainda que eu inicialmente não tivesse entendido a envergadura da coisa, inclusive pedindo que Deus tirasse de mim a questão dos sonhos, mas que diante do muito que tenho visto e que denuncia sobre Ele estar calado para com um monte por esse mundo afora, concluo que Cristo não me quer como 'mais um' entre o Seu povo sentado no banco duma igreja. Trabalho que, não diferente do que foi no passado, não tem sido fácil fazer. Mas a atitude daquele pastor, que depois do amor que tem por Jesus, pela esposa, pelos filhos, e pelas almas, é apaixonado por manga e jaca dura, me veio como um afago amoroso e uma injeção de ânimo contra o “desanimo” diante do que tenho vivido quanto a alguns outros.

Sobre a manga e a jaca, que não houve citadas por qualquer acaso, te falo depois. Mas entre as mensagens que a mim tinha sido confiadas sobrenaturalmente para entrega-lo, de uma você saberá agora. Além de outra que, creio, por alguma razão, tem sentido duplo. Entretanto perceba que como não há acasos embaixo do sol, dado ao trabalho que aquele homem vem tentando fazer, Jesus foi quem o impulsionou a levar naquela tarde toda aquela gente, posto que certamente há entre todos dali alguns que podem não ter percebido o cerne da questão sobre mentira e verdade dentro do santo Evangelho que àquele pastor tanto deve ter tentado pregar para o povo de Deus, e com isso algum equívoco dalguns acabar vindo a, num avesso do proposito, provocar animosidades e separação do povo comum por quem Ele tanto sangue derramou para ajuntar.

Assim, quiçá, muito mais do que ao pastor, o propósito de Jesus de certo foi falar aos outros com um dos sonhos, muito simples mas de revelação profundíssima, que Ele me deu na noite anterior ante uma oração, das outras tantas sobre a questão que já Lhe havia feito e Ele respondido, que eu Lhe fiz para que me dissesse mais alguma coisa para o Seu povo que me visitaria naquele dia seguinte. E sonho:

- Eis que vejo duas mulheres, que são irmãs, internadas num grande hospital. Sendo que só uma delas estava doente, a outra, que não estava dentro do quarto da enferma, mas até a uma certa distância dele, se internara apenas para cuidar da irmã. E ponto.

Aquele pastor, como tantos outros que leva Deus a sério dentre os que vem brincando com o povo d’Ele, trabalha para esclarecer ao povo de Deus sobre os enganos de que vem sendo vítima com os maus ensinamentos, e por aí entram as promessas mirabolantes, que Jesus não prometeu, dentre estas a felicidade absolutamente carnal do crente, e por conseguinte sua exploração financeira – levando-o a barganhar com o Pai, o que, onde não se vendo “a graça” acontecer por anos a fio, quando não antes, tem feito o crente adoecer na fé sem que se deem conta disto e assim viva uma vida avessa ao que é dar testemunho d’Ele O santificando com suas vidas frente aos homens. Indo cada um na contramão da salvação e a caminho da condenação. Só que onipresente e onisciente que Ele é, Jesus, sabendo de cada coração e de possíveis equívocos de alguns veio e disse com esse sonho:

- Vocês são irmãs. Cuide a sã da doente!

Ali, naquele hospital, as irmãs representam igrejas. E me leva a concluir e a passar que o cuidado duma para com a outra, é para ajudar a sarar a doente e não a combate-la. Mas como sarar sem ao menos combater a enfermidade? Aqui completo lhe advertindo que a irmã sadia não estava na beira da cama da adoentada, muito menos lhe vi pondo papa na boca, antes disso estava bem longe do quarto. O que deve nos fazer entender que, considerando a distância em que estaria, lhe mostrou na banqueta onde estavam os remédios que deviam a purificar da doença. E aí, amigo/a, entendeu ou quer que eu desenhe?

Tá, vou desenhar:

Noutra noite Jesus veio a mim e me mostrou uma grande escadaria onde da minha esquerda, de entre as casas que ali havia e que desciam à canhota da escada - esta que tinha do outro lado um grande penhasco, saia uma caminhão compactador, de lixo, este que descia as escadarias dando pulos de tão imprudente que dirigia seu motorista, quando falo pra mim: ‘Esse cara tá louco? Pra onde ele vai? Lá embaixo não tem saída e os bandidos vão mata-lo’. Nesse momento vejo sair mais um caminhão, também compactador, sendo dirigido escadaria abaixo da mesma forma louca. Então fico ainda mais atônito. Mas o desespero me bateu quando agora vejo descer um ônibus atrás dos caminhões. Quase enlouqueço, preocupado com os bandidos que sabia que havia lá embaixo, onde não havia saída, e dou uns passos à frente para ver como carros tão grandes saíram de entre aquelas casas se nunca nem beco vi naquele lugar; é quando noto que não é beco, mas uma rua que mais parecia uma Avenida de tão larga. E ponto.

A revelação – em alguns atos.

Ato 01 - Tanto os caminhões quanto o ônibus representam a Igreja.

Ato 02 – O grito que Jesus Cristo dá, nos “tontos” da seara, com esse sonho, que Ele só me deu para que eu viesse aqui te contar, é que está havendo muito mais lixo de doutrina do que almas nas igrejas. Notou DOIS caminhões e UM ônibus? Notou que o que vai dentro dum, ou melhor, dum não, mas de DOIS compactadores, é MUITO lixo e que o que vai dentro de UM ônibus são pessoas, e que para carregar as pessoas foi APENAS um ônibus e para carregar o lixo foram necessários DOIS caminhões?

Ato 03 – A lixaria está levando o povo pro perigo ladeira à baixo. Lembra da minha agonia por causa dos bandidos lá embaixo e que não havia saída por ali? Além de que a ausência de saída ao final daquela escadaria representa que com essa lixaria não haverá saída para as almas, sabe o que representa os bandidos naquela situação? Sério que você respondeu DEMÕNIOS??? Tá ficando esperto/a...

Ato 04 – Se aquele ônibus quisesse subir de volta a escadaria, ele conseguiria? Não? E se os passageiros descesse dele, subiriam as escadas?  Subiriam? Muito bom. Então os caminhões se tentassem também não conseguiriam subir, certo? Mas os dois motoristas, se descessem dos caminhões certamente conseguiriam subir, correto?

Ato 05 – Ah, não me diga que preciso te desenhar também quem representa os motoristas dos caminhões. Mas o importante é que também para eles está dado a oportunidade de descer dos caminhões e, sem as cargas, quem sabe postas em suas costas, a subirem de volta as escadas...

(...)Portanto dize-lhes: Assim diz o Senhor dos Exércitos: Tornai-vos para mim, diz o Senhor dos Exércitos, e eu me tornarei para vós, diz o Senhor dos Exércitos.
Zacarias 1:3.

Ficou bem desenhado? Como, quer que eu pinte? Tá, vou pintar...

Ato 06 – Perceba que tanto os caminhões quanto o ônibus saiam duma RUA LARGA que eu nunca havia visto que existia entre aquelas casas. Sabe o que isso significa? Que há muitos que estão fora do CAMINHO APERTADO de que falou Jesus, e nem tem se dado conta disto: (...)E porque estreita é a porta, e apertado o caminho que leva à vida, e poucos há que a encontrem. Mateus 7:14, e por isso vem vindo acompanhando os ‘compactadores’.

Ato 07 – No gozo do Senhor, com lixo não entra ninguém. Sim, se o povo deixar a lixaria lá embaixo certamente subirá. Mas não sem esforço dado a permissão que se deu de ser puxado a descer a ladeira acompanhando a bagunça. Sabe onde está isso? Não vejo ninguém, por mais perna forte que tiver, subir sem botar a língua de fora naquele mundo de escadas. É o preço, meu ‘réi’, que àquela morte naquela cruz por nossa causa não foi coisa barata não, se tu não sabe. Mas, calma, apele para a Graça poderosa que quem sabe o/a irmão/ã desprezou lá atrás, que fica fácil. Ou você acha que Ele me mostrou a situação com os elementos que mostrou – sabendo que eu a esmiuçaria aqui pra você – só pra ‘bater papo’ comigo???!!!

Ato 08 – Mas entenda como lixo não só as heresias ou apostasias de quem lhe dirige ou a você prega, mas principalmente as tranqueiras que talvez você venha trazendo no coração, o desfigurando do tradicional vermelho sangue, e o transformando em algo do tipo preto treva...

(...)Segui a paz com todos, e a santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor;

Tendo cuidado de que ninguém se prive da graça de Deus, e de que nenhuma raiz de amargura, brotando, vos perturbe, e por ela muitos se contaminem.
Hebreus 12:14,15.

Mas dê ainda uma olhada tanto em Hebreus 10; de 26 a 31, quanto em Lucas 12; 47,48, que se você for mesmo um/a cidadão/ã do Céu você vai amar meditar lá. Mas se não encontrar forças não se aperrei não, veja antes o que disse o próprio Jesus, em João 5: (...)Eu não posso de mim mesmo fazer coisa alguma..., Depois medite aqui, e pede para o Pai mandar de Lá que fica fácil:

(...)Porque Deus é o que opera em vós tanto o querer como o efetuar, segundo a sua boa vontade. Filipenses 2;13.

Tá bom assim? Ficou bom e bem pintado o desenho? Muito bom. Mas acompanhe aí a conclusão de como foi a tarde com aquela turma e como eu fui parar no Japão.

Então, depois de ouvir-se sobre que Jeová/Deus é tão “puro de olhos” que não pode contemplar – olhar, para o mal, conforme em Habacuque 1;13, e que Ele de tão santo a supremacia dos anjos, os Serafins, que vivem a metros d’Ele, conforme em Isaías 6; 2,3, não conseguem olhá-Lo diretamente tamanha a Sua Glória, e vivem repetindo sobre Sua santidade: Santo, Santo, Santo, e que isso deve levar a gente a refletir para que se andarmos ‘chutando o balde’ diante dos homens e da Sua presença, nada nas escrituras nos garante salvação alguma, ouviu-se também sobre a mentira desnecessária no uso de Malaquias 3, da Velha Aliança para arrecadação, quando tem-se da Nova Aliança, do novo Sacerdócio, I aos Coríntios 9;11, mas que quase, ou mesmo talvez ninguém faz uso.

Mas lembra da manga e da jaca? Pois é, ouviu-se ainda que, considerando o paladar diversificado com que Ele nos fez, fez para você que não gosta de manga espada, a manga rosa, e para o que não gosta de nenhumas dessas duas, fez a carlotinha, e para o outro, fez outro tipo, e para outro, ainda outro tipo, e para quem não gosta de manga, mas gosta de jaca, fez a jaca mole, e para quem não gosta da mole, como o caríssimo pastor, fez a jaca dura, pela qual ele até baba. É tipo a mãe cujos filhos não come isso, enquanto o outro não come aquilo, e que ela se esbalda para fazer o almoço daquilo outro só para fazer a vontade das suas crias. Você já tinha pensado nisso? Pois é, “Assim na terra como no céu”. E você ainda O despreza...

Mas para mim o ápice da mensagem esteve numa revelação que o Senhor me deu em João 5, o que me reportou às palavras de certo pastor, homem de Deus mas que vem sendo trazido por costumes sobre os quais Jesus tem me dado a advertir-vos, quando ele disse, o pastor, ao termino duma pregação doutro pregador quando recebeu deste o microfone: “Boa esta palavra. Estamos alimentados por mais uma semana!”. E naquela hora o Espírito sacudiu dentro de mim num profundo incomodo, o que comentei com minha esposa depois. Quando entendi o porquê de Jesus Cristo ter me sacudido daquele jeito, ao me deparar com o disposto em João:

(...)Vós mandastes mensageiros a João, e ele deu testemunho da verdade.

Eu, porém, não recebo testemunho de homem; mas digo isto, para que vos salveis.

Ele era a candeia que ardia e alumiava, e vós quisestes alegrar-vos por um pouco de tempo com a sua luz.

Mas eu tenho maior testemunho do que o de João; porque as obras que o Pai me deu para realizar, as mesmas obras que eu faço, testificam de mim, que o Pai me enviou.
João 5:33-36.

O que Jesus está dizendo aí acima, é que o crente, por preguiçoso que é para orar, jejuar, e ler as Escrituras Sagradas, ou seja, que corre de passar momentos à sós com Ele, tem vivido se alimentando de grão em grão, ou seja, dependente duma próxima pregação para se manter no fervor “do Espírito” – se se tem vivido no fogo do Espírito e não no fogo ARTIFICIAL, conforme revelado no sonho da irmãzinha mais acima, lembra?, e assim, quiçá, enchendo o bucho de lixo uma vez que sem o Seu Espírito a nos alimentar, será impossível discernirmos entre Palavra e palavra. Ou seja, se o fogo que tem saído “da caixa de força” é do Espírito e não ARTIFICIAL. E não deixe de observar que Ele diz que para sermos salvos temos que receber d’Ele antes de qualquer homem. (...mas digo isto, para que vos salveis).

Naquela noite, mesmo depois daquela a que considerei, juntamente com outros alguns, como uma tarde poderosa, orei a Ele sobre o que Ele me diria a respeito do que ocorrera ali que Ele sabia e eu, claro, não com a Sua exatidão. Então foi que Ele me levou ao Japão. Pronto, aqui está minha viagem ao Império do Sol Nascente de que te falei – mas vou te contar a parte principal, suprimindo a que se refere a que para mim essa minha missão é um caminho sem volta, ou seja, a mim não será dado o direito de recuar, como já pedi a Ele, mas só o de seguir sempre em frente:

- Eis que eu estou no Japão, mas que diferente da arquitetura pomposa, as casas eram muito pobres, tipo as dos desertos do Oriente Médio, com aqueles rebocos mal feito, parecendo um lugar abandonado, onde eu só via umas três ou quatro pessoas. E diante de mim uma mulher a quem eu tentava dizer umas palavras sobre um algo que parecia ela querendo me vender, mas que ela não me compreendia, por mais que eu tentasse. E ponto.

A revelação é uma lástima, mas é bíblico:

Na palestra daquela tarde, que começou por volta das 14h30, se não me engano, e se estendeu até quase às 19 horas, nem todos - mas graças a Deus foram poucos, o que está representado nos 03 ou 04 japoneses, não absorveram absolutamente nada do que foi dito. E que o estado espiritual dessas pessoas é deplorável. O que está representado nas condições das casas desertificadas em que elas viviam no sonho.

Entretanto, porém, todavia...

Há uma esperança, graças a Deus. Um brasileiro não consegue se fazer entender por um japonês no ato do contato. Mas o que acontece depois de os dois convivendo por uns meses ou alguns anos? Pois é, essa é a esperança: a perseverança. A insistência. Porém não se valha disto para se fazer de japonês, que pode não haver mais tempo para você. E quem sabe também não para todas as almas que se encontram correndo o mesmo perigo...

(...)Filho do homem: Eu te dei por atalaia sobre a casa de Israel; e tu da minha boca ouvirás a palavra e avisá-los-ás da minha parte. Ezequiel 3;17.

Mas, como já dito, havia no encontro de debaixo daquela jaqueira muito mais almas do que os três 3 ou 4 “japoneses”, às quais não foram identificadas aqui, desde o nobre pastor, não por displicência minha mas por razões óbvias, almas às quais o Espirito de poder muito disse aos seus corações, pessoas com fome e sede de justiça, pessoas ávidas pelas coisas do Céu, para as quais a conversa soou não como entre estrangeiros, mas genuínos brasileiros... 

(...)Esta é uma palavra fiel, e digna de toda a aceitação, que Cristo Jesus veio ao mundo, para salvar os pecadores, dos quais eu sou o principal. 1 Timóteo 1:15.

Arrependei-vos e crede no Evangelho.

Shalom.

Antonio Franco Nogueira - a serviço do Reino eterno.

AQUI mais textos do autor.

Antonio Franco Nogueira - a serviço do Reino eterno
Antonio Franco Nogueira - a serviço do Reino eterno

 
Banner
Banner

Publicidade

Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner

Camaçari Fatos e Fotos LTDA
Contato: (71) 3621-4310 | redacao@camacarifatosefotos.com.br, comercial@camacarifatosefotos.com.br
www.camacarifatosefotos.com.br